segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Entrevista com Claes Reimerthi no Fantasma Brasil

Achei bem legal essa entrevista com o Claes Reimerthi que o Roberto Sabino postou no FB.

O Reimerthi escreve histórias do Fantasma para a editora Egmont. Na entrevista ele fala sobre seu processo de trabalho, um pouco dos bastidores da produção do Fantasma e a parte que eu achei mais interessante: o ponto de vista dele sobre os vilões (do Fantasma, mas creio que pode ser aplicado a todos).

Nos últimos anos de publicação do Fantasma pela Editora Globo, as histórias que eu mais gostava eram essas feitas pelo povo da Egmont. Na minha opinião, eles conseguiram modernizar o Fantasma na medida certa, com bom senso, diferentemente das tentativas americanas, que modernizaram o personagem também mas o descaracterizaram muito.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Zé Carioca Reloaded

Para que isto aqui não vire uma "polêmica" involuntária, como aconteceu comigo na época do lançamento da revista da Luluzinha Teen, já aviso: este post NÃO É uma crítica ao personagem nem aos profissionais envolvidos na produção das novas histórias do Zé Carioca. Apenas vi no blog do Planeta Gibi as prévias das HQs inéditas, e, baseado nos comentários dos leitores, tentei imaginar o papagaio com uma roupa mais leve (adequada ao calor do Rio de Janeiro, penso eu), e usando um chapéu panamá.




 


E como eu gosto de desenhar garotas, bolei uma versão da Rosinha também. Esta parte sim pode ser encarada como crítica... Eu a desenhei com uma plumagem branca, embora no gibi ela tenha uma cor de pele. Sempre achei isso estranho, porque me dá a impressão de que ela foi depenada.


Mas, para não ferir suscetibilidades:


segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Raga

Ontem li no blog do Octavio Aragão (mais) um trecho do conto dele, Rainha das Estrelas, uma cena com o coronel ciborgue Raga. Achei bacana o personagem (sempre gostei de robôs e ciborgues) e fiquei com vontade de fazer um desenho dele. Por favor, ignorem o fato de que, por distração, eu tive as manhas de desenhar a porção cibernética do coronel DO LADO ERRADO do corpo dele.


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Making Of de "Fire And Ice"


Fire And Ice é um filme da animação dirigido por Ralph Bakshi, inspirado no universo de Frank Frazetta , com roteiro de Roy Thomas e Gerry Conway. Virou cult para os aficionados pelo gênero Espada & Magia, como eu. Fiquei sabendo que o diretor Robert Rodriguez está produzindo um remake.

Acho pouco provável que essa animação agrade ao público de hoje, acostumado com histórias mais movimentadas (se um filme fica 30 segundos em silêncio, o cara já acha que "tá chato"). Se você é um desses, dique longe de Fire And Ice. E de mim.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Descanse em paz, Joe Kubert


Como se não fosse o bastante termos perdido este ano o Moebius, agora perdemos também o mestre Joe Kubert.

Não me lembro de alguma vez ter lido algum gibi de super-herói desenhado por ele. Meu contato com o trabalho do Kubert foi com as histórias de guerra do Sargento Rock, publicadas pela EBAL, e as HQs do Tarzan. De histórias com ele envolvendo super-heróis só lembro de uma, que até hoje me faz rir: o Ricardo Giassetti me contou uma vez que o Kubert tirava sarro de seus próprios filhos, Andy e Adam, que desenhavam (e ainda desenham) HQs de super-heróis, dizendo que "eles deviam fazer histórias em quadrinhos de homem".

Enfim, Joe Kubert vai embora desse mundo deixando HQs memoráveis, um legado gigantesco, e uma escola de arte onde qualquer desenhista de quadrinhos sério gostaria de estudar.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Solano Lopez y El Eternauta

Descobri esse documentário por acaso no Youtube. É uma série chamada Continuará, e fala sobre os quadrinhos argentinos. Se você assistir no Youtube, lá na barra lateral tem outros vídeos dessa série.


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Slane revisitado

Alguns vão querer me apedrejar por isso, mas... o Slane é o outro personagem que eu gostaria de retomar para lhe dar um final.

Não acho um trabalho genial, nada do que eu faço considero genial... Porém,  os meus (poucos) leitores são pessoas que eu considero muito. O Slane é um personagem que já foi  publicado há (se meus cálculos estiverem corretos) 21 anos, e até hoje tem gente que lembra dele. Eventualmente alguém me pergunta se eu faria um final pra história. Em consideração a esses leitores, eu gostaria de fazer, sim.

Tem aqueles velhos problemas de sempre, que atrapalham a mim e a outros pra fazer HQ sem ter um retorno financeiro. Mas se eu conseguisse fazer um final pra história dele em 20 páginas ou menos, quem sabe? Evidente que muita coisa ficaria sem resposta, em 20 páginas só daria pra mostrar o principal.

Então fiz uns pequenos estudos. Tentei emular meu traço antigo, que era mais estilizado, caricatural, misturado com minha técnica de hoje. Achei divertido.

 



quinta-feira, 19 de julho de 2012

Estudos do Kário

Nos últimos meses entrei numa de querer concluir algumas coisas que deixei inacabadas.

Digo, HQs que comecei e não fui em frente, por várias razões. Me refiro aos trabalhos solo - apenas 2, que eu me lembre. Com exceção da Ilha de Fortuna, não me arrependo por ter abandonado os projetos que tinha com outros roteiristas.

Um dos que eu gostaria de retomar é o Kário.


 



Não haveria muita diferença entre o que fiz antes e o que faria agora. Basicamente eu deixaria de lado o estilo meio "mangalóide" que havia usado antes. E mais fantasia. Mas o tom seria o mesmo. Tenho dúvidas, porém, se alguns leitores entenderiam isso se eu continuasse trabalhando com um Kário já adulto. Por isso, a ideia que me ocorreu seria fazê-lo mais jovem, um carinha, talvez, no fim da adolescência. Pra não haver dúvidas de que se trata de uma HQ juvenil. Quem o chamar de "Kário Teen" leva uma canetada no olho, é claro.

E é claro, também, que tudo depende de arranjar tempo pra fazer isso. O velhor problema.

domingo, 15 de julho de 2012

Tarzan volta aos quadrinhos

Soube da notícia pelo Daniel Brandão, no Facebook. Não sei se fico alegre ou preocupado. Alegre, porque um dos meus personagens favoritos está voltando; preocupado, porque tenho receio de que o descaracterizem demais. Não sou contra atualizações, só tenho medo de que transformem o Tarzan num Game of Thrones na selva. Vê lá, hein, Andy Briggs?


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Star Wars (esboços)

Pedaços de um desenho que estou fazendo de Star Wars, enquanto faço outras coisas também.

Quando estiver pronto eu posto aqui.






terça-feira, 5 de junho de 2012

Rabiscos do Dia

Faz tempo que não posto desenho aqui, hein? É que as coisas que tenho feito não podem ser mostradas. Mas rabiscos eu posso mostrar.

Participe dos projetos da AQC

Se você faz charge,cartum, quadrinhos, tiras, textos de humor, saiba que ainda tem espaço na próxima edição da revista Picles. Dê uma olhada aqui para mais detalhes. Dou mó valô pra essas coisas do Worney, e se eu fosse você participava.

terça-feira, 17 de abril de 2012

segunda-feira, 9 de abril de 2012

QD Comics - Divulgação

Repassando a mensagem do Leonardo Melo, editor da QD Comics.

--------------------------------------------------------------------------------------

Já faz algum tempo que inaugurei o novo site da Quadrinhópole, www.qdcomics.com, cuja ideia é a de distribuir quadrinhos digitais e também ser uma rede social para autores e leitores de quadrinhos.

Agora, implementamos também uma nova forma de pagamento das HQs pagas, através de um sistema de créditos e estamos com uma promoção: os próximos 100 usuários cadastrados ganharão 5 créditos para gastar com as HQs do site!

O cadastro é gratuito e o usuário tem acesso ainda a várias HQs gratuitamente, além de poder acompanhar o que os amigos estão lendo, comentar, curtir, twittar e várias outras coisas.

Enfim, estou mandando esse e-mail porque, apesar de enviar releases para os sites especializados e divulgar nas redes sociais, os sites nem sempre divulgam e o resultado nas redes nem sempre é garantido, por isso gostaria de contar com a ajuda de vocês para repassar esse e-mail aos amigos que possam se interessar, bem como a possíveis autores que estão publicando meios de se auto-publicar. E se você é um deles, entre em contato para trocarmos uma ideia!

Valeu mesmo pela força e aguardem que uma nova edição da revista está saindo... novidades ainda esse mês!

sexta-feira, 6 de abril de 2012

O Plano de 5 Anos de Sean Gordon Murphy (Atualizado)

Muito legal esse texto do Murphy.

A maior parte dos tópicos que ele cobriu eu já havia sacado por experiência própria, através de observação e exercício de bom senso. A questão da "marca", por exemplo, já tenho bem definida: quero que meu nome seja associado a quadrinhos de aventura. Isso é inegociável.

O ponto que preciso trabalhar mais é o da "atitude", o que no meu caso significa tomar coragem pra escrever meus próprios roteiros, pra não ser mais refém de roteirista.

Atualizado: Como o site que publicou o texto saiu do ar, fiz uma busca no Archive.Org atrás dele, porque é um texto muito legal. Vaí aí embaixo.

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Como estarei lecionando em cerca de uma semana no SCAD, estive pensando bastante sobre o que dizer aos alunos. Acabei escrevendo isso pra deixar bem nítido em minha mente. Isso é, em maioria, para jovens artistas, portanto sintam-se à vontade para pular.
Quando passo algum tempo com outro quadrinista as vezes pergunto “qual é seu plano de 5 anos?” Em outras palavras, que passos ele(a) está tomando para ganhar o controle de sua carreira e poder crescer ainda mais. Normalmente não recebo uma “resposta”.
Penso que a razão pela qual muitos artistas não pensam à frente é relacionado ao modo como a industria (dos quadrinhos) funciona. Seja por desenvolvimento consciente ou pela negligência dos participantes, jovens freelancers caem no hábito da complacência enquanto esperam poder “mamar nas tetas” de uma grande editora. Ficar esperando sua carreira chegar não é a ideia de freelancers tomando o controle de suas próprias carreiras.
Se eu tivesse que resumir o Plano de 5 Anos dos freelancers mais novos, acabaria soando como “estou sempre trabalhando na minha área e tentando comparecer à eventos. Talvez eu monte um sketchbook. Eu “tweeto” muito com outros artistas durante o dia e eu meio que tenho essa história – que é minha – que eu, tipo, vou tentar trabalhar um dia. Mas também tenho respostas positivas de roteiristas que parecem saber o que estão fazendo. Eu ainda não sei… em geral só vou tentar aguentar o tranco até a Marvel ou a DC me notarem e oferecerem algo bacana. Aí eu terei uma base de fãs. Sei lá, eu queria ser o próximo Jim Lee.”
Esse approach meio tongo me deixa louco! Esse vamos-sentar-e-esperar-a-oportunidade-de-trabalhar-com-quadrinhos-chegar já atrasou muitos artistas. Mas acho que há um outro motivo pelo qual acho que isso acontece.
Pense em tudo o que você já ouviu falar sobre “o protocolo da industria de quadrinhos”. Te disseram pra esperar na fila de um evento até um editor poder examinar seu trabalho. As vezes até penduraram em você aquelas plaquinhas de “o último cara da fila” (um distintivo de respeito, esse). Ou você ouviu em algum lugar que o melhor jeito de trabalhar na Marvelé trabalhando na DC primeiro. Ou, talvez, eles queiram que você mostre seu potencial fazendo uma capa – não-remunerada, claro. Ou talvez eles queiram ver seu trabalho à lápis e arte-final separadamente.
Por mais que gostemos de nos enganar, normalmente não existe um protocolo. Eu mesmo não fiz nada disso e, ainda assim, consegui entrar no mercado. Se você quer mesmo passar por tudo isso, fique à vontade; tenho certeza que algumas pessoas fizeram sucesso com isso. Mas só porque te mostraram os obstáculos não quer dizer que você terá que atravessá-los. E só porque escreveram “entrada” na porta da frente, isso não quer dizer que você não pode achar um entrada lateral. Você só precisa usar um talento que você já tem: seja criativo!
Aqui está minha lista de sugestões para ajudar a melhorar seu Plano de 5 Anos.
TALENTO
Ouvi dizer que “3 coisas podem ser achadas em artistas de sucesso e se você tem duas delas, você estará bem: talento, respeito às deadlines e ser uma pessoa agradável”. Eu concordo com isso, mas acho que um ajuste seria interessante: ser agradável representa 10%, trabalhar no tempo certo representa 10% e ser talentoso representa 80%. Prova disso? Se Travis Charest estivesse sempre atrasado e fosse um babaca (na verdade, ouvi dizer que ele é super-bacana), ele ainda conseguiria trabalhar. Seu trabalho é TÃO BOMque passaria por cima dos outros dois fatores. O que quero dizer é que você deve estar sempre trabalhando, desenhando e melhorando. É óbvio, eu sei, mas mas isso nunca é dito o bastante: a espinha dorsal de toda sua carreira é sua habilidade. Sua habilidade cria demanda e demanda te dá opções. E ter opção é ter controle.
3 COISAS AO MESMO TEMPO
Você deve ter dois projetos paralelos. Cada projeto aumentará suas chances de ser um hit. E quando o trabalho em um dos projetos atrasa – o que acontece muito -, você pode trocar a marcha e continuar produtivo. Sugestões de projeto paralelos?
  • Trabalhe em um livro que seja seu, ou;
  • seja co-autor com alguém que você gosta e confia. Ou;
  • planeje um sketchbook para a temporada de convenções. Ou;
  • procure trabalhos relacionados à videogames. Ou ;
  • tente desenhar capas. Ou;
  • crie um alfabeto “Wolverineo” pra mantê-lo ocupado.
Seja criativo e pense diferente. Três coisas ao mesmo tempo é bom, mas quem sabe você não consiga fazer mais? E, mesmo se todos seus projetos paralelos falharem… pelo menos era você no controle deles.
ESCREVA
Vou chutar que a maioria das pessoas daria à maioria das HQs uma nota 7,0 ou menos.
Não por que pensamos que escrever quadrinhos seja inferior à outras formas de escrever, mas por que se pegarmos um grupo de QUALQUER coisa, a maioria será de nível médio, ou 7,0. É a Lei da Média.
Assim, você provavelmente compra uma ou outra coisa todo mês que seja um 9,0. Talvez mais umas duas que sejam um 8,0. Então, se a grande maioria não passa de 7,0, que tal tentar escrever? Com um pouquinho de esforço, você não poderia escrever uma história 7,5? É claro que você conseguiria! E uma HQ 7,5 já é melhor que a maioria das HQs. Lidamos com uma industria em que os personagens combatem o crime vestindo cuecas!Não se intimide pensando que você não seria capaz de montar uma roteiro meia-boca. Sim, existem vários autores sensacionais que usam as HQs para criar histórias inovadoras que nem eu nem você poderíamos criar. Mas se você pensar bem, são heróis com cuecas por cima da calça! Não estamos procurando o próximo Philip K. Dick aqui…
Escrever não é só um dom. Escritores são planejadores. E planejadores lidam com o amanhã. Ter uma mão no futuro quer dizer que você tem o controle.
E se escrever não é pra você, considere-se o papel de diretor/produtor. Descubra que tipo de história você quer contar e trabalhe nisso com um autor em quem você confia. Tente com a Marvel. Mesmo não sendo um material seu, ao menos você estará mais no controle. Ou tente com a Image, mantendo seus direitos. A era digital é um período divertido de lidar com conteúdo novo.
MARCA/BRANDING
Vou usar meu amigo Scott Snyder como exemplo aqui (e vou repetir o nome dele um bocado). O primeiro grande hit de Scott foi com Vampiro Americano, junto com Stephen King. Imediatamente, Scott foi rotulado como um escritor de terror pois é isso que Stephen é. Como Vampiro Americano continuou sem Stephen – é o título do Scott, afinal de contas– a marca de Scott foi de “trabalhando com o King” pra “Scott é um escritor de terror por mérito próprio”. Atento à sua marca, Scott tem sido cauteloso escolhendo trabalhos que se encaixem em sua marca. Monstro do Pântano, Severed e Batman são todos títulos com um toque de terror. É mais fácil pra ele trabalhar com esses títulos pois tanto a DC quanto Scott sabem qual é sua marca. Na verdade, sua marca está tão clara que ele terá que cuidar com o que trabalhar no futuro. Ficar às voltas com trabalhos que não lhe cabem seria ruim para Scott. Acho até que ele poderia escrever Homem-Aranha um dia (Scott consegue fazer qualquer coisa bem), e, se esse dia chegar, Scott teria que tomar um cuidado especial já que o Cabeça-de-Teia não é conhecido como uma HQ de terror. Scott não está se saindo bem porque ele é sortudo; Scott também presta atenção.
Como artistas, nós ainda temos uma marca. E, mesmo tendo que pagar contas, não deveríamos dizer “sim” pra tudo. Sua marca é construída pelos títulos que você produz, pelos personagens que você desenhou, pelos autores com que trabalhou, pela vibe de sua arte, e pelos seu blog e tweets. Descubra qual sua marca é e use-a pra ditar suas decisões. Mesmo que você esteja numa HQ que não seja exatamente “você”, quem sabe você não possa sugerir algo para o autor que ajude a colocar sua marca na história. Eu não acho que Joe, o Bárbaro fosse o que eu defini como minha marca, mas fazê-lo bem escuro me ajudou a aproximá-lo disso. American Vampire: Survival of the Fittest é, completamente, a minha cara. Punk Rock Jesus será a minha marca em sua forma mais pura.
ATITUDE
Vamos chupinhar uma frase de Kennedy: “não se pergunte o que você pode fazer pelos quadrinhos; pergunte o que os quadrinhos podem fazer por você”. Descobri que pensar dessa forma te ajuda a criar confiança em sí mesmo. Traga isso com você sempre que estiver lidando com editores e escritores. Eles não estão te fazendo um favor; você está fazendo um favor à eles. Você gastará MUITO mais tempo desenhando uma história do que o escritor demorou escrevendo-a. Você tem mais a dar e mais a perder com esses projetos, portanto lembre-se disso. Não estou dizendo para ser arrogante; apenas não aja submisso.
JUNTE OS PONTOS
Independente do que escolha fazer com essas dicas, tente moldá-las num grande design. Um projeto de sucesso deve abrir caminho para o próximo projeto de sucesso. Quando estiver chegando ao fim de um projeto, planeje o próximo. Não há um fim-da-linha, pois umfim-da-linha quer dizer que você parou.


Sean Gordon Murphy

quinta-feira, 29 de março de 2012

Solar

Um desenho do Solar que fiz pro Wellington Srbek. É um super-herói brasileiro convincente, verossímil, e muito bem construído, como até aqui eu não tinha visto. Entretanto, ele costuma ser ignorado nas listas e artigos sobre o tema que fazem por aqui. É um mistério. Quem o desvendará?


terça-feira, 6 de março de 2012

Exploradores de volta à rede

Ou quase, porque não tem material inédito ainda. Só material que já existia sendo agora adaptado para preto e branco. O motivo eu explico melhor no blog dos Exploradores.

É muito provável que serei mais visto lá do que aqui. Nessa nova oportunidade que estamos dando aos Exploradores, quero fazer as coisas diferentes... Quero muito que aquela webcomic dê certo.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Prova de Fogo

A Ática mandou pra mim uma cópia do livro que ilustrei. Abaixo, uma foto tirada com celular:


O que vem a seguir? Sei lá. Bem que podia ser um do João Carlos Marinho - na minha opinião, o maior escritor juvenil de todos os tempos e universos. Sou fã da Turma do Gordo até hoje!

sábado, 14 de janeiro de 2012

Fútilbol

Tem dias que dá a maior vontade de fazer um mangá de futebol.



Depois eu lembro da podreira nos bastidores do futebol brasileiro, e a vontade passa.


Por aqui, estou juntando as moedinhas pra comprar CONAN - O COLOSSO NEGRO, cujo título tem tudo para lembrar um filme pornô. Já li algumas HQs desse Conan da Dark Horse e gostei pra caramba. A única coisa que me fez torcer o nariz até agora foi essa nova série do bárbaro. Brian Wood é legal, Becky Cloonan também, mas que ideia foi essa de fazerem um Conan afeminado que parece ter saído de um mangá shoujo qualquer? Pode isso, Arnaldo?

domingo, 1 de janeiro de 2012

Noite na Taverna

Antes de tudo... Um feliz ano novo pra vocês!

Ando afastado dessas coisas internéticas há um bom tempo... Vou tentar mudar isso, embora eu não prometa nada.

Vamos ao que interessa: esta é uma cena do prólogo que estou desenhando pra HQ "Noite na Taverna", com texto do Gian Danton.


 Nunca pensei que voltaria a desenhar esses personagens da HQ "Coração das Trevas". Mas sabe como é, nunca diga "nunca". Vai pra uma coletânea de histórias de ficção científica. "Coração..." é um dos contos em quadrinhos que compõem a "Noite na Taverna" (as outras partes são desenhadas por outros artistas). Aproveitei pra alterar algumas coisas na arte dessa HQ, por isso a versão que vai sair impressa é diferente da que vocês já viram.